Arquivo da categoria: Cultura

Jack O’ Lantern

Padrão

It’s Halloween, boooh…

Have you ever read the story of Jack O’Lantern, the scary pumpkin which is an icon of Halloween?

 

The Story of Jack O’Lantern

A stingy drunkard of an Irish blacksmith named Jack had the misfortune to run into the Devil in a pub, some say on Halloween night. Jack drank too much and was about to fall into the Devil’s hands, but managed to trick the Devil by offering his soul in exchange for one last drink. The Devil turned himself into a sixpence to pay the bartender, but Jack quickly pocketed him in his purse. Because Jack had a silver cross in his purse, the Devil could not change himself back. Jack would not let the Devil go until he promised not to claim his soul for ten years.

The Devil agreed and ten years later Jack came across the Devil while walking on a country road. The Devil wanted to collect, but Jack, thinking quickly, said “I’ll go, but before I go, will you get me an apple from that tree?” The Devil, thinking he had nothing to lose, jumped on Jack’s shoulders to obtain the apple. Jack pulled out his knife and carved a cross in the trunk of the tree. This left the Devil in the air, unable to obtain Jack’s soul. Jack made himself promise to never again ask for his soul. Seeing no way out, the Devil agreed. No one knows how the Devil managed to get back down!

When Jack finally died years later, he was not admitted to Heaven, because of his life of drinking and being tightfisted and deceitful. When he went to apply for entrance to Hell, the Devil had to turn him away because he agreed never to take Jack’s soul. “But where can I go?” asked Jack. “Back where you came from!” replied the Devil. They way back was windy and dark. The Devil, as a final gesture, threw a live coal at Jack straight from the fire of Hell. To light his way and to keep it from blowing out in the wind, Jack put it in a turnip he was eating.

Ever since, Jack has been doomed to wander in darkness with his lantern until “Judgment Day”. Jack of the lantern (Jack o’Lantern) became known as the symbol of a damned sould.

Boooooh to you all! 

Anúncios

Vincent Malloy

Padrão

Hi guys!
Vocês sabem que, além de Edward Scissorhands, um personagem de Tim Burton que eu adoro é Vincent Malloy. Portanto, elaborei a tradução livre do poema recitado por Vincent Price para as pessoas que adoram o taciturno Malloy.


Vincent

Vincent Malloy is seven years old
He’s always polite and does what he’s told
For a boy his age, he’s considerate and nice
But he wants to be just like Vincent Price

Vincent Malloy tem sete anos
Ele é sempre educado e faz o que lhe é pedido
Para um menino de sua idade, ele é atencioso e simpático
Mas ele quer ser como Vincent Price

He doesn’t mind living with his sister, dog and cats
Though he’d rather share a home with spiders and bats
There he could reflect on the horrors he’s invented
And wander dark hallways, alone and tormented

Ele não se importa em viver com sua irmã, cachorro e gatos
Embora ele preferisse dividir um casa com aranhas e morcegos
Lá ele poderia refletir sobre os horrores que criou
E vagar por escuros corredores, sozinho e atormentado

Vincent is nice when his aunt comes to see him
But imagines dipping her in wax for his wax museum

Vincent é simpático quando sua tia vem visitá-lo
Mas imagina a mergulhando em cera para seu museu de cera

He likes to experiment on his dog Abercrombie
In the hopes of creating a horrible zombie
So he and his horrible zombie dog
Could go searching for victims in the London fog

Ele adora fazer experiências com seu cachorro Abercrombrie
Na esperança de criar um horrível zumbi
Então ele e seu horrível cachorro zumbi
Poderiam sair a procura de vítimas nas brumas de Londres

His thoughts, though, aren’t only of ghoulish crimes
He likes to paint and read to pass some of the times
While other kids read books like Go, Jane, Go!
Vincent’s favourite author is Edgar Allan Poe

Seus pensamentos, no entanto, não são apenas de crimes mórbidos
Ele gosta de pintar e ler para passar o tempo
Enquanto outras crianças leêm livros como “Go, Jane, Go!”
O autor favorito de Vicent é Edgar Allan Poe

One night, while reading a gruesome tale
He read a passage that made him turn pale
Such horrible news he could not survive
For his beautiful wife had been buried alive!
He dug out her grave to make sure she was dead
Unaware that her grave was his mother’s flower bed

Certa noite, enquanto lia um conto abominável
Ele leu uma passagem que o empalideceu
Tão horríveis notícias que ele não seria capaz de sobreviver
Pois sua bela esposa foi sepultada viva!
Ele cavou sua sepultura para ter certeza que ela estava morta
Inconsciente de que sua sepultura era o jardim da mãe dele

His mother sent Vincent off to his room
He knew he’d been banished to the tower of doom
Where he was sentenced to spend the rest of his life
Alone with the portrait of his beautiful wife

A mãe de Vincent o mandou para seu quarto
Ele sabia que seria banido para a torre da ruína
Onde ele foi condenado a passar o resto de sua vida
Sozinho com o retrato de sua bela esposa

While alone and insane encased in his tomb
Vincent’s mother burst suddenly into the room
She said: “If you want to, you can go out and play
It’s sunny outside, and it is a beautiful day”

Enquanto encerrado em sua tumba, solitário e insano
A mãe de Vincent entrou em seu quarto
Ela disse: “Se você quiser, pode ir lá fora brincar
O sol brilha lá fora, e é um lindo dia”

Vincent tried to talk, but he just couldn’t speak
The years of isolation had made him quite weak
So he took out some paper and scrawled with a pen:
“I am possessed by this house, and can never leave it again”

Vincent tentou falar, mas não conseguiu
Os anos de isolamento o enfraqueceram
Então ele pegou um papel e escreveu com sua caneta:
“Estou possuído por essa casa, e não posso mais partir”

His mother said: “You’re not possessed, and you’re not almost dead
These games that you play are all in your head
You’re not Vincent Price, you’re Vincent Malloy
You’re not tormented or insane, you’re just a young boy
You’re seven years old and you are my son
I want you to get outside and have some real fun.

Sua mãe disse: “Você não está possuído, e você não está quase morto
Esses jogos com os quais você brinca estão em sua cabeça
Você não é Vincent Price, você é Vincent Malloy
Você não está atormentado e insano, você é apenas um jovem menino
Você tem sete anos e é meu filho
Eu quero que você vá lá fora e se divirta de verdade”

Her anger now spent, she walked out through the hall
And while Vincent backed slowly against the wall
The room started to swell, to shiver and creak
His horrid insanity had reached its peak

Passada agora a raiva, ela caminhou através do corredor
E enquanto Vincent caminhava devagar em direção a parede
O quarto começou a crescer, a tremer e ranger
Sua horrenda loucura atingiu seu pico

He saw Abercrombie, his zombie slave
And heard his wife call from beyond the grave
She spoke from her coffin and made ghoulish demands
While, through cracking walls, reached skeleton hands

Ele viu Abercrombie, seu escravo zumbi
E ouviu sua esposa o chamando além da sepultura
Ela falou de seu caixão e fez mórbidas exigências
Enquanto, através de paredes rachadas, o tocavam mãos de esqueletos

Every horror in his life that had crept through his dreams
Swept his mad laughter to terrified screams!
To escape the madness, he reached for the door
But fell limp and lifeless down on the floor

Todo horror de sua vida que havia rastejado em seus sonhos
Arrebatou sua louca gargalhada à gritos de terror!
Para escapar a loucura, ele correu até a porta
Mas caiu fraco e sem vida no chão

His voice was soft and very slow
As he quoted The Raven from Edgar Allan Poe:
“and my soul from out that shadow
that lies floating on the floor
shall be lifted?
Nevermore…”

Sua voz era suave e muito lenta
Enquanto citava “O Corvo” de Edgar Allan Poe:
“e minha alma desenterrada da sombra
que deita flutuante no chão
deve ser levantada?
Nunca mais…”

Tradução livre por Daiane Silva

“Vincent” by Tim Burton

Padrão

Hi guys!

I’m a huge fan of Edgar Allan Poe. The ones who read his tales of mystery and horror, such as “The Mask of the Read Death” and “Berenice”, knows that I’m talking about a very specific kind of mystery and horror, which no one were ever able to imitate.
“Berenice”, for instance, is a story of man in love with his fair and weak beloved damsel, as well as for her death. Allan Poe wrote a tale about love and catalepsy!

However, if there is someone who is also a huge Allan Poe’s fan, this person is Tim Burton. Just pay attention on his movies, such as “Nightmare Before Christmas” and “Edward Scissorhands”, they also have this Poe’s essence of  fantastic horror.

There’s a Tim Burton’s production that I really enjoy, which its called “Vicent”, which is the story of a boy who wants to be like Vicent Price, a famous horror movie actor. The voice behind the story is actually Price’s.

Boooooooh…

The Flag of England

Padrão

A cruz de São Jorge (St. George’s Cross) é um emblema que simboliza o reino inglês e as armas da Inglaterra desde as Cruzadas no medievo, mas apenas se tornou a bandeira da Inglaterra no século XVI.

Segundo a lenda, São Jorge da Capadócia digladiou com um dragou para salvar uma princesa, fazendo o sinal da cruz em seu escudo branco com o sangue da criatura mitológica.

No entanto, existe uma imprecisão em relação à razão pela qual São Jorge teria se tornado o patrono da Inglaterra, pois ele é conhecido pelos ingleses desde o século V,  muito antes da conquista normanda. Por essa razão, suponho que os cruzados influíram muito na disseminação de sua imagem, pois já existiam santos ingleses importantes, como St. Edward, the Confessor & St. Edmund.

St. Edmund & St. Edward, the Confessor

A referência mais antiga à St. George’s cross remonta à Welsh War (Guerra Galesa) de 1277 sob o reinado de Edward I.
St. Edward, the Confessor era o santo patrono da Inglaterra até 1348 quando a Chapel of St. George (Capela de São Jorge) foi construída em Windsor, atingindo o status de símbolo da Inglaterra apenas no século XVI, enquanto as outras bandeiras de santos foram abandonadas durante a Reforma.

The Flag of Scotland

Padrão

Hi guys!

A Saint Andrew’s Cross é o símbolo da bandeira nacional da Escócia.


O apóstolo e mártir Santo André (Saint Andrew), foi cruxificado pelos romanos em Patras, no Peloponeso. Segundo a tradição, Saint Andrew foi cruxificado numa cruz denominada crux decussata, em forma de X, pois o apóstolo considerava-se indigno de ser cruxificado numa cruz latina como a que Jesus fora.

O uso da iconografia do martírio de Saint Andrew, retratando o apóstolo preso a crux decussata, aparece pela primeira vez no Reino da Escócia (Kingdom of Scotland) em 1180 ao longo do reinado de William I. A imagem foi retratada em selos reais ao longo do século XIII.

Entretanto, o uso simplificado do símbolo associado à Saint Andrew, o qual, no entanto, não retrata a imagem do apóstolo, mas apenas a Saltire ou crux decussata (do Latim crux, “cross” em inglês, e “cruz” em português; e decussis, que representa o numeral romano X), tem suas origens somente no século XIV.

O motivo pelo qual essa cruz se tornou no símbolo de um reino é que segundo a lenda, em 832 d.C., o rei Óengus II, liderou um exército de Pictos e Escotos em batalha contra os Anglos, liderados por Æthelstan, próximo a onde hoje é Athelstaneford.
A lenda sustenta que ao suplicar em oração, na véspera da batalha, Óengus jurou que se a vitória fosse conquistada, ele nomearia Saint Andrew como santo patrono da Escócia.
Na manhã da batalha, nuvens brancas formaram no azul do céu uma forma de X, enfrentaram o campo de batalha com bravura, e embora em número inferior ao exército dos Anglos, o rei Óengus foi vitorioso.
Tendo interpretado o fenômeno como uma representação da crux decussata na qua Saint Andrew foi cruxificado, Óengus honrou seu juramento, transformando o símbolo religioso em símbolo da Escócia.

Lion Rampant of Scotland

Além da Saint Andrew’s Cross como bandeira nacional da Escócia, os escoceses ainda têm uma outra bandeira conhecida como The Royal Standard of Scotland, Banner of the King of Scots ou mais comumente Lion Rampant of Scotland, que é a bandeira real das armas escocesas, historicamente usada pelo Rei dos Escotos. Contudo, o uso da Lion Rampant of Scotland é restrito à oficiais de Estado, que representam a soberania escocesa.